Ano de escolaridade:
11.º ano
Disciplina/área curricular:
Filosofia
 
Domínio/Tema:

Determinismo e liberdade na ação humana

Prova/Ano escolar:
Prova de exame final nacional – Prova 714 | 1.ª Fase | 2017
Palavras chave:
interpretar; livre-arbítrio; determinismo radical
 

Apresentação do Item (Clique aqui para aceder à prova em PDF):

 

Características do Item
Tipologia:
Item de seleção
Formato:
Escolha múltipla
Tipo de suportes:
Texto de um psicólogo behaviourista
Nível de complexidade cognitiva:
Nível 2 (médio) – interpretar
 
Dados estatísticos
        Percentagem de acerto:
42%
        Grau de dificuldade:
 
Médio
 
Objetivos do item: o que se pretende avaliar e sua relação com as AE e o PA

Interpretar um texto que supõe que o determinismo radical é verdadeiro e que oferece uma explicação da experiência interior de termos livre-arbítrio.

AE - Discutir criticamente as posições do determinismo radical, do determinismo moderado e do libertismo e respetivos argumentos.

PA – Linguagens e textos (utilizar de modo proficiente a língua materna); Informação e comunicação (mobilizar informação); Raciocínio e resolução de problemas (interpretar informação); Saber científico, técnico e tecnológico (mobilização da compreensão de fenómenos científicos).

 
Critérios de classificação (Clique aqui para aceder aos critérios de classificação em PDF):

As respostas ao item são classificadas de forma dicotómica, ou seja, a pontuação só é atribuída às respostas corretas, sendo todas as outras respostas classificadas com zero pontos.

Seleção da opção correta (Opção C).

 
Exemplos de didáticas e situações de aprendizagem a que os alunos poderiam ser sujeitos para responder corretamente ao item:

 

  • Debate sobre as causas das nossas escolhas, conducente à formulação do problema do livre-arbítrio.
  • Análise de textos que explicitem posições relativas ao problema do livre-arbítrio.
  • Construção de quadros-síntese das teses e dos argumentos.


* Complexidade não é sinónimo de Dificuldade.
A complexidade tem a ver com o processo cognitivo que é requerido para a realização da tarefa ou do item de avaliação. É definida antes e durante o processo de construção da tarefa ou do item.
A dificuldade pode e deve ser estimada, mas só é possível determinar com exatidão depois da aplicação do instrumento/tarefa, através dos resultados obtidos.