Ano de escolaridade:
9.º ano
Disciplina/área curricular:
Português Língua Não Materna - nível B1
 
Domínio/Tema:

Escrita

Prova/Ano escolar:
Prova Final de Ciclo de Português Língua Não Materna (94) - 2019
Palavras chave:
escrita; pensamento criativo; texto narrativo
 

Apresentação do Item (Clique aqui para aceder à prova em PDF):

 

Características do Item
Tipologia:
Item de construção
Formato:
Resposta extensa
Tipo de suportes:
Conjunto de imagens
Nível de complexidade cognitiva:
Nível 3 (superior) – criar
 
Dados estatísticos
        Percentagem de acerto:
69,9%
        Grau de dificuldade:
 
Fácil
 
Objetivos do item: o que se pretende avaliar e sua relação com as AE e o PA

Objetivo do item: Escrever um texto, respeitando o formato e o tema, com recursos linguísticos adequados.

Aprendizagens Essenciais (PLNM | nível B1 – p. 6):

Escrita - Produzir textos a partir de imagens e de sequências ouvidas ou lidas.

Escrita - Dominar técnicas de redação de […] textos narrativos e descritivos.

Áreas de Competência do Perfil do Aluno: A - Linguagens e textos - As competências associadas a Linguagens e textos implicam que os alunos sejam capazes de dominar capacidades nucleares de compreensão e de expressão nas modalidades oral, escrita, visual e multimodal.

 
Critérios de classificação (Clique aqui para aceder aos critérios de classificação em PDF):

Os critérios de classificação apresentam-se por níveis de desempenho. Cada nível descreve o grau de qualidade do desempenho do aluno por referência à melhor resposta esperada. Neste caso, a resposta é analisada a partir de categorias de análise (ou parâmetros) independentes, mas complementares, o que permite reportar informação mais fina e detalhada dos desempenhos. A cada nível corresponde uma dada pontuação. A pontuação total atribuída à resposta resulta da soma das pontuações obtidas em cada nível de cada um dos parâmetros. Os critérios indicam também as situações em que determinados aspetos específicos podem, ou não, ser contabilizados, tendo em consideração o desempenho esperado.

 
Exemplos de didáticas e situações de aprendizagem a que os alunos poderiam ser sujeitos para responder corretamente ao item:

Na sequência que a seguir se apresenta, a abordagem à escrita parte de uma reflexão sobre produções escritas (divergentes e convergentes) da autoria dos próprios alunos. A partir dessa reflexão, exploram-se aspetos como a organização e a coesão textuais, a ortografia, a sintaxe e a pontuação. Os saberes e as competências trabalhados serão (re)investidos em atividades de reescrita. Esta sequência deve ser entendida como uma sequência preparatória de uma atividade formativa de escrita.

 

Exemplo de sequência de atividade

 

Escrever, escrever bem, escrever melhor

  • Apresentar uma sequência de imagens que ilustre um episódio do quotidiano.
  • Explicitar os diferentes momentos estruturantes do texto narrativo (situação inicial- introdução, peripécias-desenvolvimento e desfecho-conclusão).
  • Solicitar que alguns alunos recontem oralmente os diferentes momentos do episódio.
  • Pedir aos alunos que elaborem a planificação de um texto escrito, com a supervisão do professor.
  • Solicitar aos alunos a redação de um texto narrativo, para posterior apreciação do professor.
  • Entregar aos alunos o texto com informação de retorno, redigida pelo professor.
  • Selecionar um conjunto de produções divergentes dos alunos, ao nível da morfologia, da sintaxe, da pontuação, da ortografia e da organização e coesão para posterior análise, em situação de aula.
  • Distribuir esses produtos verbais por diferentes grupos de alunos.
  • Analisar em grupo as produções escritas divergentes.
  • Partilhar as conclusões resultantes da análise realizada.
  • Reescrever os excertos selecionados, de acordo com as normas da língua portuguesa.
  • Avaliação formativa, com recurso a rubricas previamente definidas: Respeito pelo género/formato textual (texto narrativo); Tema e pertinência da informação; Organização e coesão textuais; Morfologia, sintaxe e pontuação e ortografia.


* Complexidade não é sinónimo de Dificuldade.
A complexidade tem a ver com o processo cognitivo que é requerido para a realização da tarefa ou do item de avaliação. É definida antes e durante o processo de construção da tarefa ou do item.
A dificuldade pode e deve ser estimada, mas só é possível determinar com exatidão depois da aplicação do instrumento/tarefa, através dos resultados obtidos.