Ano de escolaridade:
12.º ano
Disciplina/área curricular:
Matemática
 
Domínio/Tema:

Funções

Prova/Ano escolar:
Exame Final Nacional de Matemática A (635) – 1.ª Fase de 2018
Palavras chave:
resolução de problemas; modelo matemático; calculadora gráfica
 

Apresentação do Item (Clique caderno 1, caderno 2 para aceder à prova em PDF):

 

Características do Item
Tipologia:
Item de construção
Formato:
Resposta restrita
Tipo de suportes:
Modelo matemático e figura
Nível de complexidade cognitiva:
Nível 3 (superior) – problematizar; raciocinar
 
Dados estatísticos
        Percentagem de acerto:
59,2%
        Grau de dificuldade:
 
Médio
 
Objetivos do item: o que se pretende avaliar e sua relação com as AE e o PA

Objetivo do item:  Resolver um problema que envolve a interpretação de um modelo real, equacionando-o e resolvendo a equação obtida com recurso às capacidades gráficas da calculadora.

Aprendizagens Essenciais (10º, 11.º e 12º anos – p. 6): Utilizar a tecnologia gráfica, geometria dinâmica e folhas de cálculo, no estudo de funções, geometria e estatística.

Resolver problemas, atividades de modelação ou desenvolver projetos que mobilizem os conhecimentos adquiridos ou fomentem novas aprendizagens, em contextos matemáticos e de outras disciplinas, nomeadamente Física e Economia.

Áreas de Competência do Perfil do Aluno: Linguagens e textos; Raciocínio e resolução de problemas; Pensamento crítico e pensamento criativo; Saber científico, técnico e tecnológico.
 
Critérios de classificação (Clique aqui para aceder aos critérios de classificação em PDF):

Os critérios de classificação apresentam-se organizados por etapas. Cada etapa identifica uma fase do processo de resolução e o grau de qualidade ou de rigor com que deve ser executada.

A classificação das respostas aos itens cujos critérios se apresentam organizados por etapas resulta da soma das pontuações atribuídas às etapas apresentadas e da aplicação dos critérios de desvalorização definidos para situações específicas (consultar documento integral).

 
Exemplos de didáticas e situações de aprendizagem a que os alunos poderiam ser sujeitos para responder corretamente ao item:

Criar situações de aprendizagem para que os alunos, individualmente ou em grupo, tenham oportunidade de explorar modelos matemáticos usando diferentes tipos de tecnologia, em particular a calculadora gráfica. Os alunos podem ser sujeitos, por exemplo, a experiências matemáticas em que possam:

  • explorar situações que evidenciem aplicações da Matemática a outras ciências e a áreas do saber;
  • resolver problemas que envolvam modelação;
  • explorar diversos processos de resolução de um problema;
  • visualizar representações gráficas de funções, recorrendo a meios tecnológicos, para suportar o seu estudo de forma intuitiva, promovendo, a par dar utilização de ferramentas de cálculo numérico, a manipulação da janela de visualização, bem como as ferramentas de zoom dos dispositivos/aplicações;
  • utilizar métodos gráficos para resolver equações e inequações, com posterior confirmação analítica, recorrendo, quando possível, a métodos algébricos.


* Complexidade não é sinónimo de Dificuldade.
A complexidade tem a ver com o processo cognitivo que é requerido para a realização da tarefa ou do item de avaliação. É definida antes e durante o processo de construção da tarefa ou do item.
A dificuldade pode e deve ser estimada, mas só é possível determinar com exatidão depois da aplicação do instrumento/tarefa, através dos resultados obtidos.